Instituto Superior Técnico

Área de Transferência de Tecnologia do IST

Dias da PI@Técnico – 2017

Informação

Durante o ano de 2017, o IST tem planeadas novas sessões de PI abertas a toda a comunidade do IST, sendo o único limite os lugares disponíveis nas salas.

A participação em cada uma das sessões deve ser precedida de inscrição no formulário para cada sessão.

Os inscritos serão informados de qualquer alteração. Esta página vai, igualmente, sendo atualizada conforme seja conveniente.

Em caso de sobrelotação, dar-se-á prioridade aos investigadores e docentes do IST, aos alunos do IST e posteriormente aos gestores das SPIN-OFFs do IST e aos alumni. O Núcleo de Propriedade Intelectual do IST contactará com antecedência de 24h em caso de sobrelotação.

Para quaisquer questões, contacte o Núcleo da Propriedade Intelectual do IST: pi@tecnico.ulisboa.pt

Datas e Temas das Sessões Planeadas para 2017:

Sessão 1: SERÁ QUE A MINHA IDEIA É PATENTEÁVEL?
Sessão 2: QUAL O ÂMBITO DE PROTEÇÃO DA MINHA INVENÇÃO?
  • 26 setembro 2017
  • 16h30
  • Campus da Alameda – Sala iStart (Pav. Matemática, Piso -1)
Sessão 3: SERÁ QUE O MEU PROGRAMA DE COMPUTADOR É PATENTEÁVEL?
  • 26 outubro 2017
  • 16h30
  • Campus da Alameda – Sala Q01  (Pav. Química)
Sessão 4: QUAIS SÃO AS LIMITAÇÕES DAS INVENÇÕES BIOTECNOLÓGICAS?
  • 20 novembro 2017 – CANCELADO
  • 14h
  • Campus da Alameda – Sala iStart Meet-Up (Q01)

Informação sobre as sessões

Sessão 1: SERÁ QUE A MINHA INVENÇÃO É PATENTEÁVEL?

A sessão tem por objetivo identificar e compreender o que é patenteável, bem como ser capaz de identificar as limitações quanto ao objeto e quanto à patente/modelo de utilidade com recurso a estudo de exemplos.

Programa:

  1. O que é patenteável?
  2. Limitações quanto ao Objeto;
  3. Exemplos do que pode ser e o que não pode ser patenteável;
  4. Limitações quanto à Patente;
  5. Exemplos do que pode ser e o que não pode ser patenteável;
  6. Limitações quanto ao Modelo de Utilidade;
  7. Exemplo do que pode ser e não pode ser patenteável.
Sessão 2: QUAL O ÂMBITO DE PROTEÇÃO DA MINHA INVENÇÃO?

A sessão tem por objetivo alertar o participante para  a importância e o papel das reivindicações numa patente; o participante deverá também ficar sensibilizado para com os cuidados a ter na escrita das mesmas.

Programa:

  1. Enquadramento Legal;
  2. Análise da Forma;
  3. Exemplos do que pode ser e do que não pode ser patenteável;
  4. Categorias de Reivindicação;
  5. Clareza das Reivindicações;
  6. Terminologia;
  7. Estratégia de Redação;
  8. Testar a Redação;
  9. Conclusões.
Sessão 3: SERÁ QUE O MEU PROGRAMA DE COMPUTADOR É PATENTEÁVEL?

Esta sessão tem por objetivo identificar os requisitos de patenteabilidade de invenções implementadas por computador, bem como identificar as características que contribuem para o caráter técnico de uma invenção desta natureza.

Programa:

  1. Propriedade Intelectual e Propriedade Industrial (objetos de proteção e respetivas modalidades)
  2. Invenções e sua Proteção;
  3. Critérios de Patenteabilidade e sua Análise;
  4. Introdução às Invenções Implementadas por Computador (definição, algoritmos, áreas de atividade abrangidas, formulações típicas de reivindicação);
  5. Interpretação e Aplicação da Lei (“criação” e invenção; caráter técnico; puras abstrações intelectuais);
  6. Prática de Exame;
  7. Exemplos.
Sessão 4: QUAIS SÃO AS LIMITAÇÕES DAS INVENÇÕES BIOTECNOLÓGICAS?

Esta sessão tem como objetivo identificar e compreender as principais especificidades de patentes para invenções de biotecnologia, bem como ser capaz de identificar o que pode e não pode ser patenteado em biotecnologia.

Programa:

  1. Introdução;
  2. Enquadramento legal e alguns aspetos históricos das patentes em biotecnologia;
  3. O que pode ser patenteado;
  4. O que não pode ser patenteado;
  5. Casos especiais de patenteabilidade.